As cias de teatro que mostram a magnitude de Cuiabá ao mundo

 As cias de teatro que mostram a magnitude de Cuiabá ao mundo

Foto: Secom-MT

Cuiabá é uma das capitais referências no teatro brasileiro. Algumas das cias (criadas nos últimos dez anos e, outras, mais antigas), fazem a diferença para que, além de que as casas de espetáculos continuem tendo público, apresentações ao ar livre também cativem as pessoas em seus cotidianos. Essas companhias não apenas dominam a cidade natal, mas brilham por todo Brasil e exterior. Confira as principais iniciativas que estão transcendendo! (Parte 01).

1 – Cia Cena Onze

Divulgação: Cena Onze

Fundado na década de 70, reconhecido por suas produções ousadas e pela abordagem contemporânea de temas sociais e políticos, o Cena Onze conquistou não apenas o público local, mas também reconhecimento nacional, participando de importantes festivais e eventos teatrais por todo o país. Desde que surgiu, formou diversos artistas nas mais diversas modalidades, tanto os que interpretam de forma majestosa, para o público, quanto uma das forças teatrais mais promissoras quando o assunto é também formar público e equipe técnica para os mais diversos espetáculos. Sensacional e fundamental!

2 – Spectrolab

Crédito: Marcos Salesse

Se tem um coletivo teatral que mescla todas as forças necessárias para ecoar durante cem anos (e mais), é o Spectrolab. Fundado em 2016, a potência artística e técnica dos envolvidos é vibrante, e para quem já esteve mais perto das artes que desenvolvem, seja na criação de cada máscara ou na demonstração de como refletem cada parte dos figurinos (a maior parte de materiais reciclados), sabe o impacto desconcertante que esses trabalhos causam. Chega a arrepiar a espinha tal profundidade, com tamanha crítica político-social, além da ambiental, que é nítida na performance de cada uma das peças. Além das bonecas anciãs, entre elas, Epifânia, com encenações ancestrais, alguns dos projetos que tem ganho a atenção do mundo são as peças O Vazio Entre a Cabeça e a Calda e Jantar, que teve exibição até em Paris. Aí que orgulho!

3 – Grupo Tibanaré

Crédito: Gerson Rubim

Criado em 2013, este grupo já circulou por vários festivais internacionais tanto no Brasil, quanto exterior. A vivacidade de cada personagem criado, tanto quando vivem formas “humanas”, tanto quando são pássaros ou até assombrações, com projetos ricos como o do projeto Passeio Noturno, que funde lendas urbanas com fatos reais da cuiabania, demonstram que a pesquisa nessa área é mais que fundamental e precisa ser valorizada. A preocupação com os detalhes é nítida e eles alcançam a plenitude quando se entregam às apresentações, tanto quando o público é mais adulto, quanto infanto-juvenil. Incríveis e instintivos!

4- Theatro Fúria

Crédito: Jú Queiroz

Para descrever o grupo Theatro Fúria, além de paixão, fogo e muita adrenalina, precisamos pensar em entrega. Os instintos humanos aflorados são o elemento que queima entre as veias de quem faz parte dessa iniciativa. Ali não é arte por acaso, mas consequência de algo que não poderia ser ocultado por essa vida. Ele foi fundado em 1998, tem como prioridade a dramaturgia própria, além de muita pesquisa em encenação e a autonomia nas produções. Inigualáveis e excepcionais!

Existem outras cias e laboratórios teatrais mato-grossenses que elencaremos em outras matérias, todas especiais e com diferenciais notáveis. Em breve, lançaremos a parte dois. Gostou deste conteúdo? Comente e compartilhe!

Atua com jornalismo cultural e assessoria de imprensa há mais de dez anos em Mato Grosso. Passou por cargos de reportagem e edição em veículos digitais e impressos, além de atuar em web-projetos (como séries e documentários governamentais e do setor privado) como pesquisadora e roteirista. Leitora e escritora literária, com ênfase em contos e crônicas. Hoje, além da empresa Mirella Duarte Assessoria de Comunicação, há quatro anos no mercado, é sócia-proprietária do portal Cuiabá Tem.