Mitos e verdades sobre Cuiabá que você precisa saber

 Mitos e verdades sobre Cuiabá que você precisa saber

Reportagem: Mirella Duarte / Foto: Emanoele Daiane

Muitas lendas urbanas habitam a cidade. Algumas, por falta de informação, outras, nem tanto. Porém, como já mencionamos em outra publicação de 5 Curiosidades Históricas de Cuiabá que pouca gente sabe – o Cuiabá Tem vai desmistificar muita coisa.

Por isso, te convidamos para que além dessa matéria, acompanhe muitos dos outros conteúdos que irão sair. Entre os mitos e verdades desta publicação, tem mulheres revolucionárias, Cuiabá calorosa como sempre (as vezes, até demais), além de um dos motivos para se ter tanto pau rodado fazendo morada por aqui (são muito bem vindos, a propósito), afinal, para se construir uma cidade cada dia melhor, contamos com a pluralidade e respeito à diversidade em todos seus aspectos, sempre. Confira a lista!

Futebol não é coisa de mulher (mito)

Ilustração / Arquivo público de MT

Aqui esse tipo de frase não se cria. Em Cuiabá futebol é coisa de mulher sim, e na linha de frente. Muito antes do futebol feminino brasileiro receber notoriedade, foi uma mulher quem fundou o Mixto Esporte Clube, e o nome dela já é bastante conhecido por quem gosta de história regional, Zulmira Canavarros. Além dessa iniciativa, Zulmira também fundou o Clube feminino (1928) e, depois, (1934) a primeira estação radiodifusora cuiabana, legalizada pelo Governo Federal: A Voz do Oeste. Futebol, política e comunicação de primeira, de Cuiabá para o mundo! Respeita!

Cuiabá com o clima mais seco que o deserto do Saara (verdade)

Crédito: Emanoele Daiane

Em setembro de 2019, noticiado pelo Jornal Nacional, a umidade de Cuiabá chegou a 7%. Era dia 6, uma sexta-feira, com muita fumaça e queimadas fora de controle. O deserto do Saara registrava a umidade entre 10% e 15%, mas Cuiabá, rum. Tava daquele jeito. Se você está lendo isso agora, é porque sobreviveu, mas foi um dia daqueles.

Maria Taquara era prostituta (mito)

Crédito: Emanoele Daiane

A história da cuiabania, assim como muitas outras escritas em livros e documentadas por recortes de jornais da época, era cheia de preconceitos e uma linguagem o quanto boçal. O que se comprova sobre Maria Taquara, além de origem nordestina, pele negra e retinta, era que ela morava na proximidade do quartel (44º Batalhão), e para facilitar as longas jornadas de trabalho, amarrava a saia nas pernas e, em determinado momento, vestiu calças masculinas para lhe facilitar baldear as roupas que levava de um lado para o outro. Ela era lavadeira e foi presa por ser a primeira mulher a vestir calças na cidade. Anos depois, com um grupo de turistas, uma mulher apareceu de calça (estilo safari) e, então, repensaram sua prisão. Maria perpetuou na memória de muitos dos cuiabanos mais antigos. Alguns a descrevem como uma mulher de pouquíssimas palavras, séria e, ainda assim, por muito tempo foi tratada de forma injusta – por além de ser pobre, negra, nordestina e mulher.

Cuiabá é mais velha do que Mato Grosso (verdade)

O Estado de Mato Grosso teve sua origem em 9 de maio de 1748. A cidade de Cuiabá, por sua vez, foi estabelecida em 8 de abril de 1719, como parte da capitania de São Paulo. Com a separação de São Paulo, surgiu o Estado de Mato Grosso, e Cuiabá, então com 29 anos de existência, tornou-se parte desse território. Essa data é oficialmente reconhecida no calendário estadual, graças à Lei nº 8007/2003, apresentada pelo então deputado João Antonio Cuiabano Malheiros e aprovada pela Assembleia Legislativa.

Quem come cabeça de Pacu, fica na cidade (mito)

Créditos: Emanoele Daiane

Não necessariamente, mas se comer, existe uma grande chance de não ir embora também – afinal, são poucos lugares do Brasil com uma gastronomia tão saborosa. Porém, devido ao crescimento constante da cidade e todo Mato Grosso, existem muitos “paus rodados” que fincam morada em Cuiabá, mesmo sem gostar tanto de peixe. A mão de obra, em boa parte das áreas de atuação é melhor remunerada e, talvez por isso, esse ditado seja tão popular. Quem sabe, nem goste de peixe, mas se adaptar ao calor e outros jeitos populares de se levar a vida pela cidade, existe a chance de não ir embora nunca mais. A renda média mensal de quem trabalha em Mato Grosso é de R$ 1.363, o valor é o 7° melhor do país se comparado aos valores pagos em outros estados do Brasil. Os dados são do Mapa da Riqueza, e foram divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em fevereiro de 2023.

Existem mais mulheres do que homens em Cuiabá (verdade)

Crédito: Prefeitura de Cuiabá

É verdade, e na maior parte das cidades brasileiras é assim. No entanto, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou, em outubro de 2023, mais um recorte do Censo Demográfico voltado para o sexo e idade dos moradores no país e, os dados apontam que Mato Grosso tem o maior número de homens em relação às mulheres, junto com Roraima, em comparação aos demais estados do país. Segundo o último Censo, o estado tem 3.658.813 habitantes. Desses, 1.840.382 são homens. Porém, em Cuiabá, 334.884 das pessoas são mulheres e 315.993 homens

Atua com jornalismo cultural e assessoria de imprensa há mais de dez anos em Mato Grosso. Passou por cargos de reportagem e edição em veículos digitais e impressos, além de atuar em web-projetos (como séries e documentários governamentais e do setor privado) como pesquisadora e roteirista. Leitora e escritora literária, com ênfase em contos e crônicas. Hoje, além da empresa Mirella Duarte Assessoria de Comunicação, há quatro anos no mercado, é sócia-proprietária do portal Cuiabá Tem.